quarta-feira, 20 de abril de 2011

AMAR É DEIXAR LIVRES OS QUE AMAMOS

Nascemos para ser livres como pássaros, mas mesmo que não queiramos não podemos evitar que os desígnios do acaso nos coloquem muitas vezes frente a situações e sentimentos que desprezamos por medo de suas diversas conseqüências. Traímo-nos quando não conseguimos controlar a nossa própria mente e nos tornamos vítimas dos nossos próprios sentimentos, que nos condena, porque nem todo o sentimento é recíproco e nem todo amor é verdadeiro. Seria maravilhoso amar e ser amado sempre, que não tivéssemos medo de flutuar nessa dança e que perdêssemos o medo de dizer o que sentimos algumas vezes. Mas em meio à realidade, temos que ter em mente que o amor é tão livre quanto a nossa alma que tem a necessidade de ir e vir aos lugares onde queremos estar.  E se o amor é um sentimento tão livre pertencente a todos os seres humanos, devemos deixar aqueles que amamos livres como a brisa da praia que toca a nossa face em uma tarde de domingo. E por mais que isso doa, nada nem ninguém nos pertence e está conosco inteiramente, por isso, é preciso deixá-los ir embora para que sintam-se livres para poder escolher o melhor caminho, e se essa escolha os trazem de volta é porque assim estava escrito. Somente diante dessa atitude desprendida é que poderemos entender que não saberíamos o quanto uma pessoa seria importante em nossas vidas, pois só poderíamos saber determinado grau de importância quando chegássemos ao final de nossa história. Varias pessoas passam e marcam as nossas vidas, e cada uma delas tem a sua essência. Ninguém é ruim ou bom totalmente, por isso, é preciso olhar cada pessoa com um olhar especial e se livrar de velhos sentimentos para dar lugar ao novo. Só através da nossa renovação espiritual é que conseguiremos ser plenamente felizes, amando-nos, sendo livres e deixando livres os que amamos.    

                                                                                     Por: Arali Moura

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

A ARTE DA VIDA


          A arte da vida é a arte de contar histórias mesmo que na maioria das vezes elas não apresentem um gran final, mesmo que na roleta da vida não sejamos apresentados como mocinhos em um filme de bang-bang, mesmo que os acontecimentos sejam como um calo no sapato e o caminho seja errevesado e por isso seja preciso tomar a próxima direita e reinventá-lo.

       A arte da vida é viver em comunhão com o mundo, independente de crenças e religião. É respeitar o próximo e não respeitar quando se sentir desrespeitado. É amar e se sentir bobo e até mesmo idiota por isso. É estar cansado de seguir e precisar apóia-se em um ombro amigo. É estar dividido entre o sentimento e a razão.

       A arte da vida é a arte de cada pessoa representando o seu próprio personagem, seja ele qual for: um crítico que odeie ser criticado, o imperfeito que procura a perfeição onde ela não existe, um louco a procura do seu amor perdido no tempo, o justo querendo explicar o injustificável, porque nem todos são justos e não temos certeza de nada além dos nossos sentimentos e da maneira como lhe damos com eles, pois somos seres completamente diferentes e indiferentes.


Arali Moura






quarta-feira, 24 de novembro de 2010

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Obrigada!!!!!!!!

Gripada, mas feliz por completar mais um ano de vida ao lado dos meus familiares e amigos. Obrigada a Deus e a todos, valeu!!!!!!!! Vocês são D+! Beijos infinitos!!!!

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Ré.mp3 de Araly

Ré.mp3 de Araly



MÚSICA: Ré


LETRA/MÚSICA: Arali Moura Santos


Os homens perdem os seus valores andando no caminho da escuridão / E mesmo quando tudo está chato por aqui / ainda espero pela minha missão.


Refrão:


E por mais que eu grite que sou inocente, eles não querem saber onde estou mesmo estando no chão.
E mesmo quando tento acertar, ainda querem a minha inocência em suas mãos.


Mãos...
_________


Quando a dor se transforma em lágrimas, eu tenho vontade de tocar o céu / Mais nem todos são capazes de entender que as vezes é preciso ter misericórdia.


Refrão:


E por mais que eu grite que sou inocente, eles não querem saber onde estou mesmo estando no chão.
E mesmo quando tento acertar, ainda querem a minha inocência em suas mãos.


Mãos...
________


Eu achei que não deveria fingir e tenho lágrimas caindo ao chão.
Achei que não deveria chorar, não quero as dores do meu coração.
E agora espero que Deus possa me mostrar a saída para toda dor.


Refrão:


E por mais que eu grite que sou inocente, inocente...
E mesmo quando tento acertar...

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Águias


Em um mundo em que os fortes não são totalmente fortes e em que os aparentemente fracos não têm a ciência de onde podem chegar. Nascemos fracos e indefesos perante o mundo, caímos e levantamos até a dádiva do primeiro passo que nos convida ao equilíbrio. Em fim, conseguimos andar depois de inúmeras quedas, mas o mais irônico nisso tudo é que passamos a vida inteira em busca do equilíbrio espiritual que nos escapa por muitas vezes. Crescemos e a nossa personalidade fica afetada pela nossa historia de vida e principalmente pelos traumas que muitos de nós adquire na infância. Isso realça a velha frase que diz: “Ninguém passa pela vida sem se machucar”. Acredito que somos mais fortes do que pensamos, mas só nos descobrimos de tal maneira quando passamos por determinadas situações que nos fazem pensar criticamente e amadurecer diante dos fatos. Acredito também que essa força interior pode ser representada de forma mitológica, pois o homem é como uma águia que ressurge das cinzas mesmo depois de todo um ritual de sofrimento, renascendo como uma fênix de fogo e sobrevoando todos os obstáculos como as montanhas mais altas.
 

Seguidores